Confira o novo Calendário de Pagamentos do PIS 2015

Os que acompanha o blog Consulta PIS certamente já estão sabendo da notícia que metade dos pagamento do PIS em 2015 só deverão ser feitos no ano de 2016. Isto por que o Governo anunciou que, por motivo do ajuste fiscal e para economia de cerca de R$ 9 bilhões neste ano, grande parte do pagamento terá que se prorrogado.

A aprovação foi dada Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Com a extensão do pagamento, trabalhadores quem tem direito em receber o PIS irão receber o abono ao longo de 12 meses, de julho deste ano até junho de 2016.

Leia mais: Saiba como consultar seu PIS

Pode receber o PIS 2015, o trabalhador que tem carteira assinada, que ganha até dois salários mínimos e que trabalhou pelo menos 30 dias em 2014. Confira os calendários de pagamentos para quem tem conta na Caixa ou recebe por outros banco ou loteria.

Calendário do PIS 2015

Nascidos em

Recebem a partir de

Recebem até

Julho 22/07/15 30/06/2016
Agosto 20/08/15 30/06/2016
Setembro 17/09/15 30/06/2016
Outubro 15/10/15 30/06/2016
Novembro 19/11/15 30/06/2016
Dezembro 17/12/15 30/06/2016
Janeiro de Fevereiro 14/01/16 30/06/2016
Março e Abril 16/02/16 30/06/2016
Maio e Junho 17/03/16 30/06/2016

Correntistas na Caixa Econômica Federal

Nascidos no mês de Recebem na Conta Corrente
Julho 14/07/2015
Agosto 18/08/2015
Setembro 15/09/2015
Outubro 14/10/2015
Novembro 17/11/2015
Dezembro 15/12/2015
Janeiro e Fevereiro 12/01/2016
Março e Abril 11/02/2016
Maio e Junho 15/03/2016

Novas regras para o PIS 2015

calendariopis2015

Para o ano de 2015 e seguintes, o valor, que antes era fixo em um salário mínimo, passou a ser proporcional ao tempo que o beneficiado trabalhou no ano anterior. Com o Cartão do Cidadão e senha cadastrada, é possível receber o valor do Abono ou dos Rendimentos nos terminais de autoatendimento da Caixa; nas Lotéricas e  nos correspondentes Caixa Aqui.

A extensão do calendário de pagamentos ajudará o governo a reduzir os gastos para cumprir a meta de superávit primário – economia para o pagamento dos juros da dívida pública – de R$ 66,3 bilhões em 2015 (1,1% do Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas no país).