Consultar o PIS pelo nome e CPF

Agora cidadãos podem consultar o PIS pelo CPF e Estado. Veja lista de nomes que ainda não sacaram o PIS 2016. Milhares de brasileiros ainda não sacaram o Abono Salarial – PIS em 2016, referente  ano base 2014.O benefício que começa a ser pago ainda em 2015, será encerrado dia 31 de agosto de 2016. Desta forma, os trabalhadores que ainda não retiraram seus benefícios, podem perder o dinheiro.

Para auxiliar os cidadãos que ainda não resgataram seu PIS, o Ministério do Trabalho criou uma página especial que permite a Consulta do PIS por nome do beneficiário. A consulta pode ser feita por estado e em seguida, o usuário pode efetuar o download de um arquivo em PDF, que contém a lista de todos os nomes das pessoas que ainda não sacaram o PIS naquele estado.

consultar pis

Como consultar o pagamento do PIS

Para realizar a consulta online, acesse aqui a página no site do Ministério do Trabalho. Em seguida, escolha seu estado dentre as opções listadas. O próximo passo é simples, basta clicar baixar o arquivo referente a primeira letra do seu nome, para facilitar a consulta e não gera um arquivo muito grande.

Consulta por CPF

Outra maneira ainda mais simples de consultar se você ainda não sacou seu abono salarial, é através de uma outra ferramenta do MTE. Através desta página, o usuário pode consultar seu PIS pelo número de CPF, de forma rápida e prática.

Na página, digite o número de CPF e data de nascimento. Em seguida, digite o código de segurança e clique em consultar.

Caso não tenha direito ao pagamento ou já tenha sacado o benefício, será exibido a seguinte mensagem:

Não consta na lista de beneficiários.
Dúvidas? Ligue:
158 – Ministério do Trabalho
0800-7260207 – Caixa Econômica Federal (PIS) ou
0800-7290001 ou 4004-0001 (Capitais) para o Banco do Brasil (PASEP).

Quem tem direito ao PIS

Para ter direito ao PIS e PASEP, é necessário cumprir as novas regras do programa:

  • Ter sido cadastro há 5 anos ou mais no Programa PIS ou PASEP;
  • Deve ter sido empregado com carteira assinada por pelo menos 30 dias no ano anterior, consecutivos ou não;
  • Seu salário não pode ter sido superior a dois mínimos;
  • A empresa precisa ter entregue a RAIS ao Ministério do Trabalho.

No Comment